201809.03
0
0

Audiência Pública do Terminal Gás Sul, do Grupo Golar Power, ocorre neta segunda (03)

Ocorre nesta segunda feira (03), a Audiência Pública do Terminal Gás Sul – TGS, empreendimento do Grupo Golar Power, em São Francisco do Sul. Haverá a apresentação do empreendimento, demonstrando todos seus benefícios para o município e para o país, assim como apresentação do RIMA (Estudo e Relatório de Impacto Ambiental).

A sessão é aberta ao público (Cine Teatro X de Novembro, a partir das 19 horas), que terá oportunidade de fazer perguntas à equipe da multinacional, a fim de esclarecer dúvidas e levantar questões sobre o empreendimento.

Conhecida como FSRU (Floating Storage and Regasification Unit), o projeto da unidade da multinacional norueguesa terá capacidade para fornecer 15 milhões de metros cúbicos de gás por dia para atender à demanda de indústrias locais, como a de cerâmica, de metalmecânica e de vidro, além de suprir a demanda de termelétricas nas regiões próximas ao empreendimento.

A solução aumentará a segurança energética do Sul do País, após o término de parte dos contratos do Gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol), em 2019.

Construção será totalmente no mar

A unidade, batizada de Terminal Gás Sul (TGS), deverá ser instalada na baía da Babitonga, na região do Sumidouro, a 300 metros da costa, e não envolverá qualquer construção em terra. O processo de licenciamento está sendo analisado pelo Instituto do Meio Ambiente (IMA) de Santa Catarina para que a unidade possa ser ancorada na localidade.

Lá, conectada a um gasoduto, levará o combustível até o ponto de conexão com o Gasbol, a 35 quilômetros do local. O gasoduto deverá utilizar a mesma faixa de servidão do atual oleoduto Ospar. Não será necessário fazer supressão vegetal ou desapropriação de áreas.

Em outros países

A unidade de regaseificação (embarcação) será transferida para Santa Catarina a partir das várias unidades que hoje compõem a frota da Golar no mundo. Ela será abastecida por navios metaneiros, numa média de duas a três vezes por mês. O empreendimento será o quinto do mesmo tipo realizado pela multinacional, que atualmente tem operações semelhantes na Croácia, Camarões e Jamaica.

A empresa é pioneira na integração entre a unidade de regaseificação e sua conexão com sistemas de geração de energia elétrica.

O TGS vai criar 22 empregos diretos para a operação da embarcação, além de gerar renda para mais de 400 pessoas no atendimento dos serviços indiretos de operação e manutenção do terminal.

Sustentabilidade garantida

A operação em embarcações tipo FSRU é globalmente considerada uma das

mais seguras para o meio ambiente e para as pessoas no entorno da atividade. Edson Real, diretor da Golar Power no Brasil, afirma:

– O terminal não gera ruídos e não afeta a biodiversidade na região. Atividades de pesca, surfe e outros esportes náuticos não sofrem quaisquer impactos, tornando sua operação altamente sustentável em todos os níveis.

Com informações de Anotícia – Claudio Loetz.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos requeridos foram marcados *